10 de outubro de 2016

O RABEQUEIRO DO BREJO E O TRINADO DO DIABO


"Após quase cem passados
Pouca coisa inda me resta;
As mãos já não firmam mais,
A vista pra nada presta,
As pernas são varas secas,
A boca tudo detesta.

Mas já fui bom vivedor,
Quando rapaz tive glória.
Meus dedos eram ligeiros,
Na rabeca fiz história.
Em quantos sambas toquei
Não puxo pela memória!"

Conheça a história de Gilberto José, o grande rabequeiro do Brejo do Reguengado. Descubra como ele, em plena época de decadência deste instrumento ancestral, conseguiu se consagrar famoso e ajudou a perpetuar a rabeca nos "sambas" sertanejos. Inspirado na história do violinista barroco Giuseppe Tartini, o romance conta com uma narrativa empolgante em primeira pessoa, debulhada em pouco mais de 150 sextilhas.

Folheto convencional, 11 x 16 cm, com 40 páginas. Edições E. Macedo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário