13 de outubro de 2016

O BODECO BACHAREL


"Leitor meu, tão estimado,
Minha razão de escrever,
Eis me aqui mais do que honrado
Por lhe fazer conhecer
A desdita do caprino
Que, por força do destino,
Interessou-se por ler.

Em terra de gente simples
Sucedeu-se todo o drama.
Num rancho do semi-árido
(Muita pedra, pouca rama),
No meu Estado natal,
Que sempre foi, por sinal,
Berço de bodes de fama."

Num humilde rancho cearense havia um aprisco povoado por ordinários caprinos mestiços, destes que tanto se vê sertão afora. Porém, pra surpresa dos criadores, um bodeco esquisito parecia ter uma inclinação inata pela leitura.Conheça a história do Bodeco bacharel, romance de cordel em setilhas do poeta Eduardo Macedo.

Folheto convencional, 11 x 16 cm, com 20 páginas. Edições E. Macedo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário