26 de janeiro de 2013

REI DE IMBURANA-DE-CHEIRO - EMBOLADOR



Se tem verso, tem gravura;
Se tem gravura, tem verso.
Entalhando não converso,
Se imagino uma figura
Vou cortando. Na fundura
Do corte brota uma rima,
Pendulando, bem em cima,
Nasce uma flor tão formosa,
Também verso, mote e glosa
Da mesma matéria-prima.

4 comentários:

  1. Renata lotfi13 março, 2013

    Que beleza!!! Que grande poeta!! Beijos!!

    ResponderExcluir
  2. Prezado Eduardo: muito bom o seu trabalho. Sintético, inspirado. Lembra o Patativa. Você deve conhecer isto que está em Cante Lá que eu Canto cá: Meu verso é como a simente/que nasce in riba do chão;/não tenho estudo nem arte,/A minha rima faz parte/das obra da criação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caríssimo tio, conheço, sim. Excelente, o poeta Patativa. Sem dúvida, uma das fontes que nuca seca.

      Excluir